04/05/2009

Não é preciso grande esforço intelectual para entender. A questão das passagens aéreas para parlamentares esbarra no óbvio. É óbvio que não deve haver cotas de passagens para os parlamentares, às nossas custas. Se houver, considerando-se a eterna possibilidade do fantástico no cotidiano, é mais óbvio ainda que tais passagens não estejam disponíveis à parentalha. Outro dia um “deles” falou na Tv algo como “eu sou médico, estaria ganhando muito mais se continuasse no meu consultório do que como político, é preciso que as pessoas entendam isso e parem de dizer que os parlamentares ganham muito”. Uai, volta pro consultório. É melhor pra todo mundo, né? Não precisa ficar lá em Brasília de favor. A gente agradece.

*a propósito, leia esse link.

Nenhum comentário: