16/12/2008



As mais recentes notícias, da BBC via UOL, dão conta de que Muntadar al Zaidi, o jornalista iraquiano que jogou os sapatos em George W. Bush, está preso, foi torturado, "teve a mão e as costelas quebradas por conta do espancamento e teria sofrido sangramento interno e um ferimento no olho".
Claro. A política truculenta, estúpida e belicista de Bush não iria perdoar tamanha humilhação sem arreganhar os dentes e massacrar "mais um" iraquiano.
É de se esperar que o mundo, que se divertiu ontem com a cena e se sentiu pelo menos um pouco representada naqueles sapatos voadores, ajude a preservar a vida de Muntadar. Se ele violou leis, códigos de ética ou o que quer que seja, que seja punido. Mas não torturado e, quem sabe, morto.
Mr. Bush viola regras, leis, códigos de ética, resoluções da ONU, mente e assassina milhares de iraquianos e está lá. No máximo, tendo de se desviar de um par de sapatos.
O mundo riu da humilhação de Bush. Não pode virar as costas para Muntadar.

3 comentários:

Phylippe Moura disse...

Man! O documentário vencedor do Oscar 2008 "Taxi to the dark side", revela a gentil forma de interrogatório dos americanos em 8 anos de Iraque. Eles pegam como exemplo tal taxista, que sem saber, faz uma corrida para quatro terroristas após um atentando lá pra aquelas bandas. Se a tortura do jornalista é fato, só figura a trágica invasão Bush ao Iraque, que na sua arrogância, pegava quem quer que fosse, na visão deles ameaça, para uma sessão de 48 horas ajoelhados com gotas de água sistematicamente pingadas na testa ao som de Battery do Metllica.

Fábio Lima disse...

É foda. Nem pro Al Zaidi acertar o Bush... Sofrer tudo isso sem sequer ter acertado o cara...

Rosa Magalhães disse...

Devia ter lançado um tijolo... vai que acertava!!!