09/09/2008

Promoção do Milênio Coisas de Amor Largadas na Noite

Foram milhares, quase milhão!, de inscritos. A cada um deles (ou delas), um muito obrigado e uma alegria tranquila, de quem se sentiu prestigiado e querido.
Mas, depois de semanas de trabalho árduo, o júri da Promoção do Milênio deu seu veredito: já temos os três primeiros colocados (que, na verdade, são quatro).
Hoje, as duas (sim, foram duas senhoritas) que empataram em terceiro lugar. Mandaram textos, que publico abaixo.
Lembro que as duas contempladas devem mandar, URGENTEMENTE, seu endereço para o mail mailto:mandrepiaui@hotmail.com, para receberem, no aconchego do lar, o exemplar de Coisas de Amor Largadas na Noite a que fizeram por merecer.
Abaixo, os nomes das talentosas participantes, e os textos enviados por elas.
Amanhã, publicação do segundo lugar.


Sanmya Menezes

Hoje eu tava te falando da sensação sem nome que veio até aqui. Do mapa, do nexo, do grito aflito, das pernas balançando, do recomeço e dessa alegria efêmera. Algo como esse ato de instigar, depois rejeitar e por último fingir que nada aconteceu.
Tava te falando mesmo era de caminhar pelo centro da cidade, dos barcos, das velas, da calçada naquela noite. A mesa pronta, o jogo americano bem colocado, o vinho e o jantar esperando a hora.
Eu tava te falando era do passeio na Avenida Litorânea, do vento chato que deixava meu cabelo parecendo um novelo de lã.
Eu te falava de algo como agora, quando eu sinto falta de sentir raiva e dos relâmpagos. Do dedo rodando pra sintonizar a FM que sempre tocava "good bye, so long, my love!".De te ver deitado me pedindo pra ler mais um verso do livro novo.
Eu diria que...
Eu acho que...
Mas você disse que...
Ah, vai, chega, encosta, senta aqui do lado que pra fazer samba eu até esqueço. E cê sabe, né?Maluca como eu sou , vou falar, falar, falar e só no fim lembrar de te perguntar:
-E aí, achou bonito?


Patrícia de Sousa Santos

Das Coisas do Amor

Há coisas difíceis de dizer e outras difíceis de sentir. Como o Amor, um tanto estranho na forma, mas irresistível no conteúdo. Sou daquelas que abraça esse sentimento aparentemente estranho, e não me importo nem um pouquinho em viver cada milímetro dele, seja nas horas de dor e cotovelo ou nas horas de alegria estonteante.
Creio na boa embriaguez do Amor e vivo constantemente inebriada, guardando canções, lugares e cores para compartilhar com o ser amado. Adoro ser ridícula, inventando apelidinhos bobos e, quase sempre, constrangedores, para falar nas horas mais impróprias, gosto de rir das piadas sem graça só pra agradar ou brigar por bobagem na expectativa de uma calorosa reconciliação.
Acredito que sou louca e literalmente não me incomodo em ser. Se for loucura amar desejo, eternamente ou enquanto restar poema, viver as loucuras dessa coisa que é o amor; me afogando num abraço caloroso e morrendo num beijo ressuscitador.

4 comentários:

Pri Rezende. disse...

Liiiiiindo.Eu sou assim.

Samuel Otávio disse...

Putz! Tedm muito mais gente escrevendo bem por aí! Que bom!

Sanmya Meneses disse...

ebaaaa \0/
email enviado para o seu André.

patrícia disse...

Ai estou feliz, muito feliz

bjs e obrigada