13/12/2007

As Várias Faces de Jackie S. - Face 6 - A Imperatriz

Jackie se despiu da alma e vestiu seu melhor blefe. Longo e negro, e elegante e discreto, com longas fendas nas laterais. Verdade? O que é a verdade, senão uma mentira repetida e repetida e repetida até que se formem cristais de meias-certezas? Não, nunca mais a verdade. O mundo de Jackie não comporta mais aquilo que é. Apenas, tudo que deveria ser. Jackie pisa firme rumo à terra prometida. E recolhe pelo caminho pedras coloridas para sua coroa de rainha do próprio eu. São sete da noite e tudo está calmo. Mas ela, a calma e sua pálida face que ruboriza ao menor prenúncio de tempestade, é o pombo-correio da dor. E Jackie, Sua Majestade dela mesma, primeira e única, repousa a magnânima tirania no trono forrado de veludo azul. Dali, ao menor gesto de seu imperial mindinho esquerdo, comanda as cores e os perfumes e os odores e os humores do Universo. Do Universo que explode dentro do seu peito. “Dobrem os joelhos, parvos e tristes servos de mim! Estou entediada e quero sangue! Carrasco: corta-lhes as cabeças inúteis e traga-as à minha alcova! Quero-lhas forrando meus sonhos.” Jackie, não mais doce, não mais suave, não mais pura, não mais íntegra, abre suas novas e farfalhantes asas negras e cospe fogo pelos olhos. “Não mais dores em mim, néscios! O mundo é meu. Dá-me de volta o que sempre esteve longe de mim”. Embriagada, Jackie se entrega ao sono. E dorme. Dorme o sono dos injustos. Porque é deles o reino da terra. O céu tem outro Rei. “God save the Queen”, saúda a turba. Insana. Como convém.

6 comentários:

Mia disse...

Nada é mais corrosivo do que o poder... nada.
Oops, consigo ver alguém aí... 0.o'

=*

Ana Mangeon disse...

Fui com a cara de Jackie!

Um mundo novo aos corações corajosos! disse...

"Posso escrever meus livros sem pensar no Nobel de literatura, mas para contar minha história e minhas estórias, colocar uma dedicatória para quem eu amo na contracapa, deixar mensagens cifradas para quem possa entendê-las e achar que eles estão ótimos, porque eu fiz e pronto."
Eu compraria a vida e a verdade de Jackie, com mais de 100 páginas!

Ana Mangeon disse...

Feliz Ano Novo, Sr. Gonçalves! Continue criando essas coisas incríveis que só você sabe criar!

xxx

Maritza disse...

Feliz 2008 para ti também, André! Muitos beijos!

Anna disse...

você escreve bonito!