05/11/2007

Manifesto por um sanduba fotograficamente compatível com a realidade

Hoje fui comer em um dos shoppings da cidade. Sabe como é, dia de pagar contas, tempo corrido, etc, etc, etc... Parei ali, num fast-food desses, novo, e espiei lá o cardápio, olhei pras fotos penduradas na parede e escolhi meu cheese-qualquer-coisa com refri-zero.
Sete minutos depois (quer dizer, fastfoodíssimo pra caramba, né?) vem meu sanduíche.
E eu, que esperava um sanduba Gisele Bundchen, recebi meu cheese-Preta Gil.
Olhei de novo para a foto e ia perguntando onde estava o pão fofinho e a carne suculenta, ao invés daquela coisa disforme e estranha que me tinha chegado. Parecia que um caminhão betoneira tinha passado por cima do tal.
Mais?
Pedi meu refri-zero, que deveria vir no copo. Exatas dezenove tentativas depois a mocinha diz que a máquina não está funcionando e, educadamente, pergunta se eu posso pagar mais trinta centavos e pegar uma latinha. Como não era meu William Foster’s day, respirei fundo, paguei os trinta centavos e aceitei.
Quando, minha nossa senhora das gorduras saturadas, vou conseguir comer um reles sanduíche que seja igual ao da foto? É pedir muito?
Dessa vez, no names. Da próxima, nomes e fotos.
Se você tiver uma experiência dessas, mande sua foto também. Comedores de sanduíches de todo o mundo, uni-vos!
Ia esquecendo: além de feio, ruim. Gororoba-salad. Cheese-shit.
Argh.

2 comentários:

Phylippe disse...

UEASHUUASEHU

se fastfufu, meu kirido!

Rosa Magalhães disse...

É que essas redes de fast-food pensam que Teresina é o c... do mundo. Ninguém merece!